Torre de TV passará por licitação até o fim do ano

Torre de TV está entre os monumentos que passarão a ser administrados por meio das PPP’s. A decisão foi publicada no Diário Oficial na última quarta-feira



A Torre de TV está entre os monumentos que passarão a ser administrados por meio das PPP’s. A decisão foi publicada no Diário Oficial na última quarta-feira

Publicada na última quarta-feira (11), na edição do Diário Oficial do DF, a Resolução 72 traz os espaços públicos e áreas prioritárias onde o Governo do Distrito Federal planeja fazer PPPs (Parcerias Público-Privadas). A Torre de TV, tema do nosso programa Brasília de Perto desta semana, é um desses espaços. A informação foi dada pelo secretário adjunto de Turismo, Jaime Recena, em entrevista aos nossos jornalistas Diego Amorim e Beatriz Ferrari.

A resolução dá um prazo de 60 dias para as empresas interessadas se manifestarem. Elas devem apresentar, dentro do prazo estipulado, estudos e projetos detalhados para o uso dos espaços, como a descrição de experiência e de casos de sucesso do interessado com projetos similares, o tempo de concessão, a avaliação técnica preliminar de soluções, o desenho do modelo de negócio, entre outras exigências.

Com a promessa, um dos principais cartões postais da Capital, o complexo da Torre, que engloba a fonte luminosa e a feira de artesanato, deve passar por melhorias em breve. Afinal, a Torre está entre os pontos turísticos mais visitados do Distrito Federal. O GDF (Governo do Distrito Federal) acredita que será um sucesso a parceria para administrá-la, dado o seu grande potencial de exploração econômica.

Monumento

Um dos poucos monumentos de Brasília que não foi criado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, a Torre de TV de Brasília foi projetada pelo arquiteto e urbanista Lucio Costa, autor do plano urbanístico da cidade. As obras começaram em 1965 e, após dois anos, o monumento foi inaugurado, em março de 1967. Erguida com o objetivo de melhorar a qualidade de transmissão de sinais de rádio e de televisão, a torre tem 224 metros de altura e é a terceira estrutura mais alta do Brasil.

Um elevador dá acesso ao mirante, localizado a 75 metros de altura, de onde se tem uma visão de privilegiada de 360º da cidade do Plano Piloto, com destaque para a Esplanada dos Ministérios, para o Eixo Monumental e para a Plataforma Rodoviária.

A Torre passou recentemente por obras que incluíram reforma do piso térreo e inferior, troca dos três elevadores, inclusão de plataformas elevatórias para cadeirantes, escadas rolantes, fonte luminosa, feira de artesanato, entre outros pontos. O investimento pelo GDF foi de R$ 12 milhões. Segundo informação da Secretaria de Turismo, a Torre de TV recebe em média de 16 a 20 mil visitantes por semana, podendo chegar a 22 mil pessoas nos feriados próximos a finais de semana. No local, ainda é possível conferir um show de águas coloridas da Fonte Luminosa, uma das maiores da América Latina.

A equipe da TV Fato esteve no local para conversar com frequentadores. Foram ouvidos relatos de alegria e também reclamação, como longas filas para visitação ao mirante, falta de informação, problemas com os banheiros, não funcionamento do CAT (Centro de Atendimento ao Turista).

“Eu nunca vi funcionando o Centro de Atendimento ao Turista”

Carlos Guimarães, militar

Segundo o secretário adjunto de Turismo, Jaime Recena, o CAT deixou de funcionar desde o início deste ano por conta de contingenciamento de gastos. Apenas o do aeroporto e o da Praça dos Três Poderes estão em funcionamento. A previsão é de que, até o início de 2016, o CAT da Torre de TV seja reaberto, seguindo o padrão dos outros postos: acesso à internet, telefone, materiais impressos como mapas, folhetos com horários de abertura dos pontos turísticos, cartões-postais e dicas de roteiro.

Feira de Artesanato

Além da bela paisagem, o complexo da Torre de TV conta ainda com a Feira de Artesanato. Lá, é possível encontrar móveis, peças de vestuário, bijuterias, acessórios de madeira e sementes, alguns feitos de metal que são, em termos, os responsáveis pelo apelido de “feira hippie” que a feira da torre ganhou.

Mesmo após as reformas, artesãos do local reclamam da falta de água e manutenção dos banheiros. O problema maior é que, dos 610 boxes existentes na feira, apenas 149 estão regularizados.

“A feira da torre, ela é de responsabilidade da Secretaria de Turismo. Essa responsabilidade inclui a parte de gestão de trazer eventos e principalmente de saber se os que estão com permissão para vender, são realmente artesãos”José de Moraes Falcão, subsecretário de Ordenamento das Cidades da Segeth

Recena informou ainda que nos próximos finais de semana será feito um processo de atualização de todos os feirantes, para que se tenha uma certificação da situação de cada feirante ali instalado. “A ideia é que a gente possa concluir isso de forma rápida, célere, para que tenhamos nos próximos meses o que tiver que ser licitado, ser licitado, e entregar uma feira cada vez melhor para a população”, afirma.

Fonte: Portal Conlicitação

Palavras Chaves

Resumo do DOU
Juliano Souza - Criação de Sites